Saia justa e profundidade “piresca” de Mônica Waldvogel

De vez em quando alguns intelectuais de merda teimam em aparecer. Assim como não sabemos de onde surgiram (geração espontânea?), do nada desaparecem. Mas em sua efêmera e curta vida, fazem um estrago. “A futilidade encarrega-se de maestra-los. São inóspitos, nocivos, poluentes. Abusam da própria miséria intelectual, das mazelas vizinhas, do câncer e da raiva alheia.” E todo esse ébrio vem de onde? Estão bêbados? Drogados? Risadas, piadas e chacotas misturadas a respostas sem qualquer argumento. Baseadas em suas limitações. Vergonha alheia!

Precisam sair da caverna (e de seu paradigma carrocrata) e perceberem que há um mundo lá fora muito maior do que o que estão acostumados. A bicicleta não vem substituir o carro, vem somar. Não é uma tendência paulistana ou brasileira, é mundial!

O que me surpreende é pensar que se fosse nazEuropa, as mesmas bestas achariam o máximo e bradariam aos quatro cantos, como é bom ir e vir sobre uma bicicleta.

A burrice é tão grande que não sabem que a bicicleta não fica presa no congestionamento e por mais que chova, basta ir a qualquer lugar se proteger da chuva, como um pedestre normal faria.

Também não conheço ninguém que tenha tido o telefone ou qualquer outro aparelho roubado enquanto pedalava. Conheço quem já teve a bicicleta roubada, pedalando ou estacionada. Mas o mesmo não acontece com os carros? E os arrastões durante os congestionamentos? E os roubos de step e gps em carros estacionados na ruas?

Enfim, ou essas pessoas moram nazEuropa… pensando bem, se morassem, seriam fãs da bicicleta. Devem é ser burras mesmo! Ou como a Renata Falzoni disse: “Não querer pedalar é em direito. Recusar-se a ver o que acontece no mundo é o que nos dá o direito de dizer que trata-se de um comentário obtuso, para combinar com quem o emite.” Ou como disse Ricardo Noblat: “Médico acha que é Deus. Jornalista tem certeza.”

Enfim, vamos ensinar a Mônica Waldvogel a conjugar o verbo: Eu pedalo, tu pedalas, ele pedala, nós pedalamos, vós pedalais, eles pedalam e a @MonicaWaldvogel fala merda!

Dancem macacos, dancem!!!

Anúncios
Esse post foi publicado em Cicloativismo, Cotidiano, Vídeos e marcado , , . Guardar link permanente.

15 respostas para Saia justa e profundidade “piresca” de Mônica Waldvogel

  1. Há muito que essa senhora vem abusando do direito de expressão, as vezes fico pensando se por ser fraquinha suas falas e inconsequentes opiniões não sãofruto de opiniões transversasde uma produção boboca que pensa em criar polêmica pra garimpar audiência

  2. adrianojapan disse:

    Parabéns pelo artigo!
    Mas.. que droga é essa de todo mundo ter sempre que associar quem anda de bike com um Vegano, “protetor do meio-ambiente”, anti-capitalista, etc??
    Nada contra, mas nunca parei pra “pensar nos animais” nos quase 10 anos que fui vegetariano, nem na camada de ozônio ao pedalar pro trabalho, subo numa bicicleta simplesmente porquê é ÓBVIO.
    Fora que nunca fui muito chegado nessa ideologia de vida desses pobres coitados e sua ostentação provinciana.. quem sabe um dia consigam se libertar desses valores do “ter é melhor que ser”, do querer se mostrar e não ter personalidade… odeio gente burra por opção!!!

  3. Guilherme disse:

    É porque andar de bike é subversivo.

  4. jeanjmichel disse:

    Bike em SP, RJ, RS… é coisa de POBRE!!!
    Mas em Paris, meu amor, é chick!

    Toma no c* mermão… esse programa é mais um daqueles que a Globo produz para encher grade, pois é um lixo. O Multishow é uma enorme lixeira onde repousam essas merdas de programas e suas opiniões fecais sobre assuntos sérios, como a (i)mobilidade urbana.

    Nego fazendo chacotinha da bike e tal… sabes porque disso? Porque já se colocam numa posição de derrotados, incapazes de percorrer 20km de casa ao trabalho e depois voltarem para suas casas, incapazes de enfrentar uma chuva de bike, de enfrentar um trajeto com alguma ladeirinha de 10m e 1° de inclinação, incapazes… incapazes de serem melhores do que um imbecil dentro de um carro fazendo piadinha de quem está de bike salvando um pouco do cocô de trânsito que a madame aí, repórter, sempre enfrenta.

    Ser biker é ser forte, heróico eu diria, pois além de enfrentar o tempo, o trânsito maluco, ainda enfrentamos essas opiniões idiotas de pessoas que “falam pra milhões” formando a opinião da chacota. Lamentável.

    Braziuziuziu… o país da Copa e das olimpíadas! Quanto orgulho! #not

    • Gledson disse:

      Na verdade não se permitem sair de sua zona de conforto, exatamente como a alegoria da caverna de Sócrates. E assim como na alegoria, os que ficaram na caverna, acabavam não crendo em quem saiu e viu o universo lá fora e matavam-o.

  5. lucas disse:

    vaca idiota

  6. enio PAiPA disse:

    VIVA a TV Brasileira… VIVA a TV a cabo Brasileira…

    graças à Deus minha TV só serve para jogar playstation!

  7. Nelson Rodrigues dos Santos disse:

    Parece um Bando de Terráqueos bêbados atrasados, discutindo assuntos de porta de bar de periferia, não deveria ter visto o vídeo , fico irritado com essa mentalidade medíocre.

  8. Nadia disse:

    Não ando de bicicleta (moro no RJ e totalmente dependente do transporte público), não sou vegan, mas acho que como todo ser humano minimamente consciente das suas ações para o planeta, jamais poderia desrespeitar essas atitudes. E como pode uma pessoa que fala da economia mundial, que tem tudo a ver com a escassez de alimentos, aquecimento global, pode ignorar esses assuntos de maneira tão tosca?

  9. alde disse:

    ou mônica desce do salto alto tua fala não nega e uma peruazinha sem nenhum conhecimento de engenharia de trafego e mobilidade humana nas grandes cidades do mundo so sabe mesmo e ser idiota num programa de idiota com vários idiotas que não sabem nada só relinchar

  10. Anna disse:

    Gostaria de manifestar a minha indignação perante este programa e seus pífios apresentadores. Nós vivemos em um país livre e sem nenhum tipo de censura, porém é lamentável que as pessoas que deveriam informar o povo, se prestam a um desserviço, na qual usam de sarcasmo, ironia e ignorância menosprezando levianamente profissionais e cidadãos brasileiros. A pseudo jornalista Mônica Waldvogel com comentários desnecessários e levianos, sobre o uso da bicicleta e o descaso com os diretos dos animais ridicularizando profissionais que trabalham para o bem estar animal e o abate humanitário, ridicularizando estilos de vida e pessoas que assim escolheram viver, peço aos canais globosat, como brasileira e pagadora de meus impostos que está senhora e seu convidado de igual mediocridade, peçam desculpas aos profissionais que lidam com o trato animal e lutam para que sejam mortos decentemente e cheguem as mesas sem infringir leis e o bom senso (que a estes apresentadores faltam).
    Revejam se uma apresentadora e um apresentador medíocres como estes merecem estar na televisão com um microfone aberto podendo dizer asneiras aos quatros ventos ou que se forem continuar apresentado este pífio programa que pelo menos se informem antes, pois o nosso país precisa sim de bicicletas e tem sim abate humanitário a unica coisa que ainda falta é bom senso a pseudo intelectuais e inteligencia as pessoas que ficam de frente para as câmeras.

    Mandei está reclamação ao site do gnt tamanha indignação e talvez nem leiam mais eu fiz minha parte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s