Greenwashing – a mentira verde

Greenwashing (traduzido como branqueamento ecológico) ou Greenwash (traduzido como lavagem verde). Essa expressão é a mistura de dois termos: green e whitewash. Green, como sabemos, significa verde. Whitewash é um tipo barato de tinta branca aplicada nas fachadas das casas. Por isso essa expressão é usada por ambientalistas para se referir às propagandas corporativas que tentam mascarar um desempenho ambiental fraco por parte da empresa. Resumindo, é a propaganda de uma empresa com o intuito de (tentar) ser ecologicamente correta, mas que não o é de fato. Ou seja, propaganda ambiental enganosa, omissa ou incoerente com o valor ambiental do negócio gerido.

 

Logo do movimento anti-greenwash

 

Os seis pecados do apelo greenwashing. Veja quais são eles:

Pecado dos Malefícios “esquecidos”:
O principal pecado encontrado na pesquisa, estando em 56% dos produtos pesquisados, se caracteriza pelo fato do produto destacar apenas um benefício ambiental e “esquecer” os outros. Exemplos: Meu produto é reciclável (mas é extremamente gastador de energia e água para ser produzido); meu produto é feito sem teste em animais (mas sua decomposição natural pode prejudicar a cadeia alimentar natural).

Pecado da Falta de Provas
Representando 26% das promessas encontradas, é utilizado por produtos que anunciam benefícios ambientais sem comprovação científica ou certificação respeitável. Nesta categoria são encontrados xampus que não são testados em animais, produtos de papel com uso de material reciclado, lâmpadas com maior eficiência energética – todos sem comprovação dos argumentos disponível ao consumidor.

Pecado da Promessa Vaga
Entre as promessas vagas – encontradas em 11% dos produtos pesquisados – estão produtos “não-tóxicos” (e sabemos que qualquer produto em excesso pode intoxicar uma pessoa); produtos “livre de químicos” (o que é impossivel, porque todos os insumos de todos os produtos têm elementos químicos em sua composição); “100% natural” (urânio, arsênico e outros venenos também são “naturais”); “ambientalmente produzido”, “verde”, “conscientemente ecológico”, todas promessas 100% vagas. E estamos falando de embalagens – imagine aqui no Brasil as promessas vagas que vimos diariamente na propaganda…

Pecado da Irrelevância
Pecado encontrado em 4% dos produtos pesquisados, se caracteriza por destacar um benefício que pode ser verdadeiro, mas não é relevante. A mais irrelevante das promessas foi a relacionada ao CFC, banido do mercado norte-americano nos anos 70: inseticidas, lubrificantes, espumas de barba, limpadores de janelas e desifetantes, por exemplo, todos livres de CFC. A promessa é irrelevante porque se não fossem livres de CFC estes produtos não teriam licença para estar à venda no mercado…

Pecado da Mentira
Encontrado em 1% dos produtos, é simplesmente uma mentira deslavada.

Pecado dos Dois Demônios
Encontrado em 1% dos produtos, são benefícios verdadeiros, mas aplicados em produtos cuja categoria inteira tem sua existência questionada, como cigarros orgânicos, inseticidas ou herbicidas orgânicos.

Alguns exemplos de Greenwashing:

 

“a Ford lançou a SUV Hybrid em 2004, que usava o combustível de forma mais “verde” – mas “esqueceu” de avisar aos consumidores na propaganda que só produziria 20,000 unidades por ano, quando sua produção da nada ecológica linha das F-1000 e afins era de mais de 80,000 por ano. Ou seja, o “carro verde” da Ford era apenas uma parte da história publicitária, a parte que lhe convém mostrar e que joga para debaixo do tapete todo o péssimo posicionamento em emissão de carbono que seus carros possuem. A Ford produziu na verdade uma ação marketeira de greenwashing, pura e simples” Fonte: Atila Velo

 

“Para uma condução amiga do ambiente”
Foto: Menos 1 carro

 

Lisbon's airport jumping on the greenwashing politically correct bandwagon

Gaste MENOS, mas gaste MUITO na mesma

Carros verdes, "totalmente ecológicos"

Fotos: Ana

Só para saberem, na Noruega não existe EcoSport.

“É impossível que um carro faça algum bem ao meio-ambiente, a não ser destruí-lo menos do que os outros.”

“Não existem carros ‘verdes’, ‘amigos do ambiente’ ou ‘limpos’”

As frases são de Bente Oeverli, executiva do órgão de regulação publicitária da Noruega.

Update:
“Observação minha: acredito que o Greenwashing traga um estigma de “lavagem de $$$”, até porque as empresas recebem incentivos fiscais quando lançam produtos supostamente verdes ou apoiam causas sociais. Empresas certificadas com ISO e outros selos internacionais atraem clientes maiores e mais lucrativos, fecham contratos mais atraentes e têm ações mais valorizadas e facilidades maiores de financiamentos públicos.
E exatamente por essa opção de poder publicar um balanço fiscal muito mais atraente, que faz com que as ações da emresa aumentem de valor no mercado, é o caso de fiscalizar com profundo rigor se as medidas tomadas são realmente sustentáveis.”
Carol Daemon – 22/01/11

Anúncios
Esse post foi publicado em Cicloativismo e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Greenwashing – a mentira verde

  1. Cacau disse:

    Amor, adorei as explicações e as colocações! Como sempre, não é de hoje que seu jeito de escrever me arrebatou!!! 🙂

    Mas as fotos poderiam mostrar outras coisas pseudo-verdes além dos carros, né?

    O q acha?

    Bjks.

  2. Carol Daemon disse:

    Pior, devem ter isenção fiscal caso atinjam “metas” verdes e socialmente responsáveis…

  3. Muito pertinente seu texto. As pessoas precisam começar a se perguntar sobre o que nos é vendido. Grande abraço,
    Julia Gomes

  4. Gil Vedder disse:

    O mais lamentável é que somos somente 4 até então que responderam ao excelente texto, na forma de elogio muito certamente. E se fossem na forma de crítica também não teria nenhum problema. Desde que tenha lido antes de criticar!
    Mas se entrarmos no Yahoo e clicarmos no link que fala do BBB2011 veremos centenas de comentários e críticas em relação ao texto… Putz! Onde essa sociedade de mente vazia vai parar???

  5. marceloperes disse:

    Já existe alguma punição legal para o Greenwashing?
    Além, é claro, da mancha na imagem da corporação quando ele é desmascarado.

    Ótimo post.

  6. Carol Daemon disse:

    Amigos, o blog foi classificado para o segundo turno graças aos votos de todos.

    Vamos continuar nessa campanha, votando e divulgando ao máximo para um resultado como o do ano passado, quando esse blog amador e gratuito foi eleito o melhor do país.

    Mais do que nunca, preciso novamente do seu voto. Agora, são só os finalistas!
    Curta no Face, compartilhe e divulgue aos amigos, um blog é feito dos leitores.
    As votações encerram em 10/11 às 14hrs. Você pode votar de quantos emails quiser.

    Para votar, basta clicar no link abaixo, esperar a janela abrir, digitar nome e email no espaço indicado e então, posteriormente, confirmar seu voto pela mensagem de confirmação recebida:

    http://www.topblog.com.br/2012/index.php?pg=busca&c_b=19130455

    abs,
    Carol Daemon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s