virei estatística

Entrei nas estatíticas dos acidentes de trânsito de joinville.
Na última sexta-feira, voltando do trabalho, lá pelas 18:00, uma moto colidiu com a minha roda traseira.
Eu estava com o pisca traseiro ligado, meus alforges possuem 15cm de fita refletiva, cada um. Usava um casaco azul celeste. Ou seja, facilmente notado, desde que o motoqueiro não estivesse com o farol apagado. De nada também adiantaria um retrovisor meu, pois não o veria.
Com o impacto, cai no chão, ralei os joelhos e a roda ficou empenada.Cotovelo esquerdo doía muito, não conseguia fazer sua extensão e nem pronar o antebraço. Pensei em luxação.
Levantei-me, fui para a calçada, comprei uma água, esperei a adrenalina ir embora. Soltei o freio traseiro que estava prendendo a roda e fui pedalando.
Pedalei aproximadamente 1,5km e parei numa oficina de bicicletas. Deixei para consertar a roda, aproveitei para lavar o machucado do joelho. Braço continuava a doer. Prendi o braço na alça da mochila, como se fosse uma tipóia. Andei mais uns 15 minutos até chegar no hospital e constatou-se uma fratura do mesmo.
O motoqueiro não parou e infelizmente não consegui pegar a placa.
O pior disso tudo é ficar sem pedalar! ;o)
Anúncios
Esse post foi publicado em Cotidiano e marcado , , , , . Guardar link permanente.

13 respostas para virei estatística

  1. Marly disse:

    Amigo, sou mulher, tenho hoje 52 anos e sigo pelos caminhos dessa terra que escolhi, ou me escolheu para residir, sou paulistana. Na cidade de Porto Alegre, há exatos 9 anos me vi na mesma situação. Um motoboy me causou uma fratura de úmero muito grave(ele fugiu). Só um lembrete que não podes deixar te escapar, como eu fiz, tu corra a tirar seu seguro DPVAT. E melhoras para ti!

  2. Alex disse:

    Infelizmente… a irresponsabilidade no trânsito e a negligência em se prestar socorro são tão comuns ainda, é algo que nos assombra.
    Melhoras!

  3. Rose disse:

    Nossa menino, espero que se recupere logo.
    Graças a Deus não foi algo mais grave.

    Melhoras pra ti.
    bjks

  4. Rinaldo disse:

    Está na hora de termos leis mais severas para o transito, digo isto como motorista, ciclista e pedestre. Ter leis e fazer com que sejam cumpridas!

    Melhoras, meu caro, e que você volte a pedalar em breve!

    Claudio Rinaldo
    http://cicloviadigital.blogspot.com/

  5. Omesmo disse:

    Poxa vida rapaz!!! Agora tu vai ter tempo para escrever muuuuuiiittoooo… Vejo o lado bom. Agora o blog vai arrebentar!!! No bom sentido claro!!

    Desejo que tenhas as melhoras do braço e na bike o mais rápido possível…

  6. meandros disse:

    Rapaz, também estou de molho, mas com o pé quebrado. No meu caso, o fui eu que bati de bicicleta atrás de um carro (e a responsabilidade também foi minha). Uma olhadela para trás, não percebi que o fluxo dos carros parou e não consegui freiar a tempo. Como estava de fixa e com firma-pé, o corpo foi para frente e o pé ficou.

    O pior mesmo é ficar sem pedalar.

    Boa recuperação!

  7. Liberdade disse:

    Agora voce veja quase montou um motogrupo no Rio e foi atropelado por uma moto que nem se deu ao trabalho de parar e ver se estavas bem….é a vida…bjsssssssss saude e melhoras.

    Ass: Junia.

  8. Oi amigo, tá de “molho”… é um pouco chato mas, infelizmente ainda temos que dizer: ainda bem que “só” foi o braço.
    Uma quase maioria aqui em sampa,não dão prioridade aos ciclistas, por esse motivo fico apreensiva qd meu marido sai para pedalar.
    Melhoras para vc!!!
    abraços amigos 🙂

  9. Fabiana disse:

    Que chato, mas que ótimo que vc está bem! Infelizmente existem pessoas que fazem as besteiras mas não tem coragem de assumi-las.
    Vc sim é corajoso vai continuar pedalando e continuar acreditando e confiando nos seres humanos.
    Não podemos desistir de acreditar que pessoas bacanas como você ainda existam e são muitas.
    Que Deus te abençoe!!!
    Bjs

  10. Licio Pam disse:

    Caro amigo GLEDSON, no AUDAX que fizemos juntos, esse era meu maior medo.
    Força Gledson, que tudo isso passa ou vc esqueceu das minhas clavículas!!!!
    Abraço, Licio PAM

  11. Peiffer disse:

    Fala, cara! Sou eu, o Robson… nem vou perguntar se está tudo bem, pois felizmente sei que já está! Essa dica aí q deram do seguro DPVAT é 10, cara… vai lá.
    Outra coisa, gostei de saber q vc virou notícia, mas pelo seu blog. Parabéns!
    Quando estiver de passagem e quiser reunir teus amigos, me convida, hein?
    Abraço!

  12. Que coincidência… sexta-feira passada eu, igualmente, virei estatística. Dia 9/7, no Rio de Janeiro, voltando do trabalho pra casa, fui atropelado por um carro.

    Minha bike tem pisca traseiro, eu olhei pra trás, não vi nenhum carro se aproximando, sinalizei com o braço a mudança de um lado pro outro da rua (pra virar à direita mais à frente), e fui abalroado pela roda traseira por um carro. Resultado: fratura do maléolo medial esquerdo, luxação e entorse do tornozelo esquerdo e seis dias desfrutando do sistema público de saúde. Dei sorte, poderiam ser muito mais dias.

    Eu tive mais sorte, o motorista prestou socorro, mas, além de não poder pedalar, a pior parte é constatar a situação crítica e inumana do nosso sistema público de saúde. Tive colchonete na minha maca pois minha mãe comprou um e o levou ao hospital… triste.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s